Em risco de nova epidemia de dengue, SP tem 2,5 criadouros por residência.

Um levantamento inédito realizado pela Secretaria da Saúde e divulgado nesta sexta-feira, 29, aponta uma média de 2,5 criadouros do mosquito da dengue em cada residência do Estado de São Paulo. Com 390 mil casos confirmados e 256 óbitos até o dia 11 de novembro, o Estado está em risco de uma nova grande epidemia da doença, segundo o superintendente de Controle de Endemias, Marcos Boulos. No próximo dia 2, a pasta lança uma nova campanha contra o mosquito Aedes aegypti, que também transmite a zika e a chikungunya.

A pesquisa encontrou a maior prevalência de larvas do mosquito em recipientes móveis, como vasos de plantas, garrafas pet e potes plásticos. Havia 1,3 criadouros destes por casa positiva. Os recipientes naturais — plantas, ocos de árvores e bambu, por exemplo — tiveram o menor índice de criadouros com larvas. Também tiveram índices pouco expressivos, os recipientes em depósitos elevados, como sótãos e forros; fixos, como calhas, lajes e piscinas, e ainda aqueles passíveis de remoção, como sucata e entulhos.

Categoria:Notícas do Brasil